terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

To Take Something for Granted








Como disse Madonna em sua canção "One More Chance:"

"  took your love for granted  (Não valorizei seu amor)

Thought luck was always on my side  (Pensei que a sorte estava sempre ao meu lado)

I turned around too late and you were gone..." (Eu me virei tarde demais e você tinha ido embora...)    😪😪😪

Nesta canção, o exemplo clássico de quem não valoriza alguém que está sempre ao seu lado, e por isso, acaba perdendo a pessoa!

Took your love for granted: Não valorizei seu amor. Pensei que seu amor estaria sempre ali. Dei seu amor como algo garantido.




Esta expressão é muito usada na língua inglesa. Mais alguns exemplos:

I took my English for granted and then couldn't get the job I wanted. - Neste caso, a pessoa em questão achou que seu inglês era bom demais, quando não era: Achei que meu inglês era bom o suficiente (não dei a mínima para aprimorá-lo), e então não consegui o emprego.

Don't take your relationship for granted! You might lose the person you love if you do this. - Não veja seu relacionamento como algo garantido! Você pode perder a pessoa que ama se fizer isso.

I took it for granted that my father would give me the money to buy a car, but in the end, he didn't. - Achei garantido que meu me daria dinheiro para comprar um carro, mas no fim, ele não deu.

I wish you wouldn't take me for granted! - Gostaria que você não me desvalorizasse / não fizesse pouco de mim.

Some people take their real friends for granted and later in life, they end up lonely! - Algumas pessoas não valorizam seus verdadeiros amigos, e mais tarde na vida, acabam sozinhos!


So, don't take English for granted! Study hard and be prepared for the next job interview!


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

APLICATIVOS PARA APRENDER INGLÊS - ELES VALEM A PENA?







APLICATIVOS PARA APRENDER INGLÊS – ELES VALEM A PENA?

Nos tempos em que eu aprendi Inglês, não existiam aplicativos. Aliás, não existiam coisas como smartphones e nem mesmo computadores nas casas. Eu me lembro que minha mãe me deu de presente uma coleção com três fascículos e três discos de vinil, chamada “Inglês Sem Mestre.” Guardo os livros até hoje.  Os áudios eram horrorosos, e eu joguei-os fora depois que aprendi! A voz da pessoa que lia os diálogos parecia com alguém que estava saindo de uma catacumba após passar alguns milênios enterrado. Ele lia separando as sílabas, com uma entonação de voz totalmente monótona e sem flexões.

Mas cursos de inglês naqueles tempos eram muito caros – além da Cultura Inglesa, que era super elitizada, havia pouquíssimas opções. E minhas condições financeiras faziam com que eu não me encaixasse em nenhuma delas.
Assim, só pude entrar para um curso aos quatorze anos, quando comecei a trabalhar. Mas esta é uma outra história. 




Hoje em dia, existem os aplicativos, as aulas online e milhares de cursos espalhados pelas cidades, sendo que você encontra vários por metro quadrado. Mas hoje falaremos sobre o uso dos aplicativos no aprendizado de inglês.

Alguns alunos me perguntaram o que eu acho deles, e após baixar alguns no meu tablete e experimentá-los durante algum tempo, acho que posso, de uma maneira geral, sem entrar em detalhes sobre quais aplicativos estou falando, pois acho que seria antiético, comentar as vantagens e desvantagens que eu descobri:



VANTAGENS   

-Eles são excelentes ferramentas para aprender vocabulário! As lições são separadas por temas – viagem, restaurantes, compras, fazendo amigos, por exemplo – e você tem a chance de escutar e repetir quantas vezes desejar, associando os sons às imagens. Isto faz com que você utilize tanto seu lado auditivo quanto o visual e o cinestésico. 

Apenas para dar uma ideia geral sobre estas três definições, o aluno cinestésico necessita fazer associações durante o aprendizado, usando gestos, sensações, sabores, cheiros, toques e emoções; o visual aprende através do que observa, e seu cérebro impressiona-se com as imagens; já o aluno auditivo é capaz de aprender através daquilo que ele ouve e repete. Todos temos um pouco dos três, mas há sempre um predominante.

-Os aplicativos são dinâmicos, pois a maioria deles ensinam através de joguinhos. Alguns utilizam o famoso e antigo jogo da memória, que é muito eficiente. 
-Os aplicativos são divertidos. 
-Há alguns que são realmente gratuitos, embora haja bem poucos, e nem todos são bons.




DESVANTAGENS

-Encontrei erros de grafia e/ou tradução em alguns aplicativos, porém, tais erros podem ‘passar batido’ por quem ainda está aprendendo a língua, o que faria com que as palavras fossem memorizadas equivocadamente. 
-A maioria deles promete mundos e fundos, mas não chegam nem aos mundos, o que dirá aos fundos... e se você quiser liberar todos os recursos, vai ter que pagar. E não é tão baratinho assim . Um deles pediu-me a bagatela de quase trinta euros para começar.
-Os aplicativos ensinam apenas itens de vocabulário, o que é muito bom, e algumas frases curtas; mas você não vai ganhar fluência ou domínio das estruturas apenas através de sua utilização, e vai chegar um momento em que você vai sentir falta de... UM PROFESSOR DE INGLÊS! Isso mesmo, esse recurso que os criadores de alguns aplicativos consideram velho, ultrapassado, fora de moda e desnecessário (Com certeza, você já deve ter visto aqueles que prometem ensinar você a falar fluentemente em um mês ou algo assim, e sem a ajuda de cursos ou professores)!



CONCLUSÃO

Quer utilizar aplicativos na sua aprendizagem do inglês? Vá em frente! Eles são muito legais. Mas não pense que vai conseguir aprender só através deles.  Peça ajuda a um professor na hora de escolher, e se puder, invista um pouquinho e pague por um bom, ao invés de usar um app xumbreguinha que vai fazer com que você aprenda da forma errada. 

E lembre-se: a única coisa que alguém pode realmente prometer a você sobre o aprendizado do inglês, é que sem esforço e dedicação, você não chegará a lugar algum. Qualquer coisa onde estiver escrito; "Solução milagrosa", "O segredo de..." "Aprenda em uma semana/ um mês...", ou algo assim, é promessa vazia.



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

THE REQUEST - A COUNTRY SONG






The Request     by Neil Hewitt    



Listen to a typical American country song! You can listen to this song several times, check the translation and try to sing along to improve your pronunciation!

Well I was singing down at Tootsie
Bem, eu estava cantando no Tootsie
She was sitting at the bar
Ela estava sentada no bar
Mixing tears with a little whiskey
Misturando lágrimas com um pouco de whiskey
Just trying to drown her broken heart
Apenas tentando afogar seu coração solitário
And when the show was almost over
E quando o show tinha quase terminado
I said “I’m taking last requests”
Eu disse, "Estou aceitando últimos pedidos"
She walked up with a note wrapped in a dollar
Ela subiu com uma mensagem embrulhada em um dólar
And this is what  it said:
E isso é o que estava escrito:

Chorus:
It said: “I’m tired of being someone’s second best
Ela dizia: "Eu estou cansada de ser a segunda opção de alguém
And I’m sick on counting on promises never kept
E estou cansada de contar com promessas nunca mantidas
And I’ve been thinking about burning all the bridges to my past
E tenho pensado em queimar todas as pontas para o meu passado
Hey cowboy, have you got a song like that?”
Hey, cowboy, você tem uma canção assim?

She was searching for some healing
Ela estava procurando alguma cura
That an old heartbreak song could bring
Que uma velha canção sobre coração quebrado poderia trazer
And I knew just how she was feeling
E eu sabia exatamente como ela estava se sentindo
But I couldn’t think of one damn thing
Mas não pude pensar em uma única droga de coisa
So I told the band: “I’ll do the last one
Então eu disse à banda: "farei a última
With just my guitar
Com apenas meu violão
And the note”
E a mensagem"
And I ordered up another cold one
E eu pedi mais uma gelada
Hell, I just sang what she wrote
Bem, apenas cantei o que ela escreveu
And I said…  
E eu disse...
(Repeat chorus)

Well, I looked up and she was gone
Bem, olhei para cima e ela tinha ido embora
Oh I never got to thank
Oh, nunca consegui agradecê-la 
Her for the song.
Pela canção.

(Repeat chorus)




Interesting phrases for you to learn!         


The show was almost OVER - Over é uma preposição que significa 'acima.' Porém, neste contexto, significa 'terminar.'

Outros exemplos: The class is over (a aula acabou)

My money was over before the end of the month, as always... (Meu dinheiro acabou antes do fim do mês, como sempre...)

I'm tired of being someone's SECOND BEST - The second best é a segunda opção, ou o que está em segundo lugar; é o que alguém usa quando não resta nada melhor. 

Exemplos: I'm sorry if I made you feel second-best. (Sinto muito se fiz você se sentir a segunda opção)

A second-best solution. (Uma segunda opção como solução)

...But I couldn't think of one DAMN thing... - A palavra Damn não é lá muito educada... porém, ela é usada para várias situações nas quais alguma coisa deixou você realmente aborrecido. Significa 'droga', 'porcaria.' Alguns exemplos do URBAN DICTIONARY - uma página online onde você poderá encontrar esta e muitas outras expressões e palavras pouco católicas:

Your team loses a game: Damn! (Seu time perde um jogo: droga!)

You spill coffee on a white shirt: Damn! (Você derrama café em uma camisa branca: Droga!)









VERBOS AUXILIARES PARTE II – DO para formar o presente simples – A Batalha Final



Na aulinha passada, falamos sobre o verbo to be e fizemos alguns exercícios de fixação. Se você não se lembra, releia a postagem! Basta ir ali ao lado, à sua direita, onde elas estão listadas, e você a encontrará sob a etiqueta “grammar” (gramática). 

⇻   ⇻   ⇻   

Hoje vamos dar uma olhada no auxiliar DO; ele é usado para formar frases interrogativas e negativas no presente simples; desta forma: 

Affirmative                    Negative                     Interrogative

I  go                           I don’t go                         Do you go?
You  go                     You don’t  go                   Do you go?
He  goes                    He doesn’t  go                 Does he go?
She goes                   She doesn’t go                  Does she go?
It goes                       It doesn’t go                     Does it go?
We go                       We don’t go                      Do we go?
You go                      You don’t go                     Do you go?
They go                    They don’t go                   Do they go?      


Escolhi o verbo ‘to go’ – que significa ir. Poderia ter escolhido qualquer outro verbo. 

Como você pode observar, na terceira pessoa do singular (he, she, it – ele, ela e o pronome neutro)    o verbo recebe um ‘s’ na afirmativa, e na negativa, o ‘don’t’ vira ‘doesn’t.’  Nas interrogativas, o ‘do’ transforma-se em ‘does.’ Mas quando isso acontece, as formas negativa e interrogativa da terceira pessoa perdem o ‘s’. Não se esqueça disso!  🙌

Exemplos: She likes / she doesn’t like / Does she like?
He studies / he doesn’t study / Does he study?
Paul wants / Paul doesn’t want / Does Paul want? 

O verbo auxiliar ‘do’ ajuda os outros verbos a trabalhar nas formas negativa e interrogativa. Pense desta forma: os verbos em inglês são criaturas muito inseguras, e não conseguem dizer não ou fazer perguntas; assim, quando precisam negar ou indagar, eles pedem ajuda ao auxiliar ‘do’, que é como um psicólogo que os ajuda nas questões emocionais, nos momentos em que eles precisam ser fortes e dizer não ou questionar. 😞

Profundo isso, não?




Portanto, lembre-se: para formular frases negativas ou interrogativas em inglês, você precisará de verbos auxiliares! No caso do presente simples, ele pode ser o verbo ‘to be’ ou o ‘do.’  Mas jamais convidem os dois para a mesma festa, digo, para a mesma frase! Uma dica? No PRESENTE SIMPLES, se, na tradução da frase, não houver os verbos ‘ser’ ou ‘estar’, o auxiliar é do; caso contrário, é ‘to be.’

Exemplos: 

What do you need? (Do que você precisa?) 

When is your birthday? (Quando é seu aniversário?) Quando é – verbo ser, portanto, 'to be.'



Alguns exemplos de frases nas formas afirmativa, negativa e interrogativa no presente simples:

a) Eu moro perto do centro – I live near downtown / I don’t live near downtown / Do you live near downtown?

b) Nós queremos aprender a falar inglês – We want to learn to speak English / We don’t want to learn to speak English / Do we want to learn to speak English?

c) Mary tem um cachorro preto engraçado -  Mary has a funny black dog / Mary doesn’t have a funny black dog / Does Mary have a funny black dog? (não se assuste; o verbo to have é o único que sofre essa mudança bem radical na terceira pessoa). 



Vamos ver se você entendeu!


1-Coloque os auxiliares corretos nas frases abaixo. Quem olhar a resposta antes de fazer o exercício, vai ficar com uma verruga na ponta do nariz durante cinco dias.

a) What ________ you want to do next weekend? (O que você quer fazer no próximo final de semana?)
b) ___________ Anthony travel a lot? (Anthony viaja muito?)
c) When _________ your parents usually buy you a gift? (Quando seus pais geralmente compram presentes para você?)
d) How _______ you say ‘banana’ in English? (Como você diz ‘banana’ em inglês?)
e) ________ you know each other? (Nós nos conhecemos?)

2-Vamos ver se você entendeu MESMO! Coloque is/are/do ou does nas frases abaixo:
a) When _________ you have English lessons? (Quando você tem aulas de inglês?)
b) Who _________ your best friend? (Quem é seu melhor amigo?)
c) What time ______ it? (Que horas são?)
d) What________ Mary do?  (O que a Mary faz?)
e) ________ you understand French? (Você entende Francês?)
f) Who _________ those people? (Quem são aquelas pessoas?)

3- Passe para as formas NEGATIVA e INTERROGATIVA:

a) I eat pizza for dinner (Eu como pizza no jantar)
b) My birthday is in January (Meu aniversário é em janeiro)
c) Susan has a lot of friends in England (Susan tem muitos amigos na Inglaterra)
d) John and Paul work at a big office (John e Paul trabalham em um grande escritório)
e) You have Money to lend me (Você tem dinheiro para me emprestar)
f) She is five years old (Ela tem seis anos de idade)


🙈🙉🙊🙈🙉🙊



ANSWERS – RESPOSTAS

1- A)do; B-Does; C)Do; D) do; E) Do.

2- A) Do; B) Is; C) Is; D)Does; E) Do; f) Are.

3- a) I don’t eat pizza for dinner / Do you eat pizza for dinner?
b) My birthday isn’t in January / Is my birthday in January? 
c) Susan doesn’t have a lot of friends in England / Does Susan have a lot of friends in England?
d) John and Paul don’t work at a big office / Do John and Paul work at a big office?
e) You don’t have money to lend me / Do you have money to lend me?
f) She isn’t five years old / Is she five years old?


That's all for today!




quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

VERBOS AUXILIARES PART I – THE VERB TO BE to form PRESENT TENSES



A culpa é de Shakespeare!



Todo mundo, até quem não sabe inglês, alguma vez na vida teve que estudar o verbo ‘to be.’ Este verbo, que é arroz de festa nas escolas brasileiras, tornou-se o incompreendido número 1, e o mais odiado dos verbos ingleses. 😢

Acho isso tudo muito injusto! Por que? Bem, porque o verbo ‘to be’ – que como vocês já devem saber, significa ‘ser’ ou ‘estar,’ - é bem mais que um simples verbo principal; ele é também absolutamente necessário para formar outras formas verbais, trabalhando como verbo auxiliar, e também  outras construções gramaticais e expressões idiomáticas. Portanto, tire esse ódio do coração, e vamos a ele!  💖💖💖💖💖

Só pra lembrar, vamos conjugar  o verbo ‘to be’ na sua forma de presente simples:

I am, you are, he is, she is, it is , we are, you are they are. 

Para quem não se lembra, ‘it’ é um pronome neutro, usado para referir-se a coisas e animais; exemplo: IT is raining. / IT is a dog.

Como o verbo TO BE já é um auxiliar, para formar perguntas com ele, basta você inverter a posição do verbo e do sujeito na frase; assim: She is my friend Mary > IS SHE your friend Mary?  / They are at home now > Are they at home now?   👀

Mas se o caso for uma frase negativa, tudo ficará no mesmo lugar, mas você acrescentará ‘NOT’ depois do verbo TO BE. A frase ficará assim: They are good friends > They are not (aren’t) good friends. / They are at home now  > They are not (aren't) at home now.

Ao falar, é comum  usar a forma mais curta: I’m not, you’re not, she’s not, he’s not, it’s not, we’re not, you’re not, they’re not. Mas se você preferir, pode usar assim também: I’m not, you aren’t, she isn’t, he isn’t, it isn’t, we aren’t, you aren’t e they aren’t.  Tanto faz! 😋

Exemplos: She’s my best friend / They’re not here at the moment / We’re not from Brazil.

O verbo to be é um verbo orgulhoso, independente, famoso, poderoso, absoluto. Portanto, ele não admite, na mesma frase, outros verbos auxiliares. É um verbo que reina só. 💪

Assim, jamais convide o verbo ‘to be’ e o outro auxiliar do presente simples – DO - para a mesma festa! O clima certamente vai ficar bem tenso...



Jamais cometa esta heresia! Do you are? 😝– É uma afronta contra o verbo to be! Diga: ARE YOU? Lembre-se: aonde o verbo TO BE estiver trabalhando como auxiliar, jamais haverá outro verbo auxiliar. Nunca. NEVER!!!

Nosso amigo TO BE é usado para formar a forma contínua dos verbos; por exemplo: Em português, você diz: Estou estudando para uma prova. Em inglês, ficaria assim: I am studyING for a test. Como você pôde ver, usamos o verbo TO BE + verbo principal com ‘ing’. Pode haver diferenças de grafia quando você for colocar o ‘ing’ no verbo principal, mas este é assunto para uma outra postagem.                                                                    
                                                                💟

Alguns verbos mudam um pouquinho no final. Exemplos:
They’re living in New York now (verbo to live, viver ou morar);  I’m coming in (verbo to come, vir ou chegar). 

Para formar frases afirmativas e negativas, basta seguir as regrinhas usadas na forma simples do TO BE! É fácil!   






Agora, vamos praticar um pouquinho – não vale olhar as respostas antes de fazer o exercício!

1-) Passe para as formas negativa e interrogativa:
a-I’m a student >
b-He’s an american >
c- They’re my cousins >
d- We’re at a party >
e- Mary is a good teacher >

2-) Continue passando para as formas negativa e interrogativa – desta vez, formando frases no presente contínuo:
a- They’re cleaning their house >
b- He’s living in São Paulo now >
c- You’re doing  a good job! >
d- Helen’s talking to a friend on the phone >
e- Gerald’s buying a new apartment >





RESPOSTAS
1) a- I’m not a student / am I a student? – b-He’s not an American /Is he an American?- C-They’re not my cousins / Are they my cousins?- D- We’re not at a party /-e Are we at a party? –e- Mary isn’t a teacher /Is Mary a teacher?

2) a-They’re not cleaning their house / are they cleaning their house?- B-He isn’t living in São Paulo now / Is he living in São Paulo now? – c- You’re not doing a good job / Are you doing a good job? – d- Helen’s not talking to a friend on the phone / Is Helen talking to a friend on the phone? –e- Gerald’s not buying a new apartment / Is Gerald buying a new apartment?

Na próxima postagem, vamos dar uma olhadinha no auxiliar DO, e na diferença entre ele e seu arqui-inimigo TO BE. 


See you!  🙋

domingo, 12 de fevereiro de 2017

A MELHOR MANEIRA DE APRENDER INGLÊS!!!






Navegando pela internet, eu fico pasma com a quantidade de novas metodologias de ensino da língua Inglesa que prometem ensinar em pouquíssimo tempo, sem esforço, sem gramática (aliás, a maioria delas abomina e condena o ensino da gramática), sem estudar vocabulário, sem leitura, sem fazer lição de casa e sem escrever composições. “Você vai falar desde a primeira aula!” , elas prometem.

Às vezes, quando vejo uma propaganda dessas, com milhões de curtidas e comentários – céus, ler os comentários me faz ver o quanto as pessoas acreditam em tudo que vá ao encontro de suas expectativas, sem darem a tais afirmações o benefício da dúvida – eu penso naqueles remédios para emagrecer sem dieta, sem exercício físico e comendo o que desejar...

esta tecla não existe!


Elas dizem: “Fale inglês desde a primeira aula!”  “Fale inglês fluentemente com o novo método Master-Plus-Double-Mix desenvolvido na Universidade de...”, “Descubra o que você está fazendo de errado (e só eu sei qual é a maneira certa!”). 

Bem... falar desde a primeira aula é possível para qualquer um, em qualquer idioma... e sem professor. Estou estudando italiano desde dezembro, por conta própria, sem professor e sem frequentar cursos, e já consigo falar algumas frases e entender outras. Mas estou bem longe de dizer que eu falo italiano ou que sou fluente em conversação, ou que sinto segurança para falar. Fluência é uma coisa que pode levar anos para ser obtida, dependendo da aptidão natural do aluno e do tempo disponível que ele tem para estudar.

O mais espantoso, não são estas promessas online, e sim, o número de pessoas que acreditam nelas. Alunos querem milagres. Precisam acreditar em um, mesmo que ele não funcione. E no fundo, eles sabem que não vai funcionar...

Você precisa entender uma coisa, caro aluno de inglês. A melhor metodologia de ensino da língua inglesa, não é a minha, e nem a deles: é a sua! 

Você precisa se conhecer melhor, saber que tipo de aluno você é e como aprende mais rápido. E pode estar certo de uma coisa: sem esforço e dedicação, não vai rolar... você poderá se encaixar em uma destas metodologias e se sentir totalmente desconfortável em outras, exatamente porque milagres não existem. Para cada aluno que se sente confortável e caminha bem dentro de uma metodologia, existem dezenas de outros que não conseguem (mas destes, eles não falam). O remédio, é continuar tentando. Mas você precisa saber que, se tratando de inglês ou de outra língua qualquer, milagres não existem.

Milagres não existem! 

Definir a sua maneira certa de aprender é uma coisa muito pessoal. Mas mesmo que você odeie gramática, passar por cima dela pode fazer com que você seja um daqueles alunos que em pouco tempo, estará falando com toda confiança. Só que erradamente. Porque você vai cometer erros sem perceber, pois não estará atento a eles. Quando você souber a gramática básica e a dominar, poderá construir suas frases com muito mais segurança e uma margem de erros bem menor. 




E o que seria a gramática básica? Bem, para começar, você precisa saber  usar os tempos verbais básicos – presente simples, presente contínuo, passado simples, passado contínuo, futuro com will, be going to e presente contínuo e o (injustamente) temido Present Perfect Tense. E é claro, pronomes e preposições. A partir daí, você poderá começar a caminhar com muito mais segurança, e acrescentar mais conhecimento ao seu inglês, começando a usar vocabulário mais sofisticado (que você consegue através de leitura) e ganho de fluência (obtido através de leitura, conversação, filmes e séries em inglês, músicas, mais leitura, mais conversação e mais filmes e músicas).



Quanto a escrever redações, saiba que elas vão ajudar muito na construção da sua estrutura frasal e também na aquisição de vocabulário! Por que? É elementar, meu caro aluno: enquanto estiver escrevendo, surgirá a necessidade de pesquisar novas palavras para colocar em sua redação. E você terá tempo para realmente pensar em coisas como tempos verbais, preposições, estrutura frasal – coisitas que são muitas vezes solenemente ignoradas quando você está falando. E ainda mais importante: após a correção do professor, você terá acesso aos seus erros graves de gramática, grafia e estrutura. Portanto, nunca receba uma redação corrigida e coloque na mochila sem olhar; quando você faz isso, em alguma parte do mundo, um professor sofre.



Não existem metodologias boas ou ruins; existem aquelas que funcionam e aquelas que não funcionam para você.  Mas de uma coisa eu estou certa: pouquíssimas pessoas aprenderão a falar inglês em tempo recorde e sem esforço. E as que conseguem, são as pessoas que têm aptidão natural para o aprendizado de línguas. 

Você é uma delas?   

Parabéns! Se você for, saiba que qualquer metodologia funcionará para você.





sábado, 11 de fevereiro de 2017

The TH Sound






O SOM DO TH EM INGLÊS

Todo brasileiro que se preze, ao aprender inglês, sente-se muito desconfortável diante do som do “th” em inglês, porque este som não existe na nossa língua. Mas na verdade, eu acho mesmo que é porque a gente se sente meio-ridículo no início, colocando a língua entre os dentes e dando aquela assopradinha básica... mas gente, não tem outro jeito!

Já ouvi pessoas dizendo, com toda confiança: “I sink...” (querendo dizer ‘I think”) ao afirmarem suas opiniões. Pode ser que um outro brasileiro o compreenda se você falar desse jeito, mas para um nativo da língua, ele vai entender o seguinte:





Porque ‘to sink’ significa afundar, e ‘to think’, pensar.
Da mesma forma, é melhor tomar cuidado com o passado: 
‘I fought’ é ‘eu lutei; ‘I taught’ é eu ensinei e ‘I sought’ é eu procurei.

Lá vai a lista desses verbos confusos e suas formas de passado simples e particípio:
Think, thought, thought – pensar
Sink, sank, sank – afundar (cuidado para não dizer ‘sank’ you very much... imagine se você fosse um nativo: como se sentiria se alguém dissesse que iria afundá-lo muito?)
Teach, taught, taught – ensinar
Fight, fought, fought – lutar
Seek, sought, sought – procurar

Não vá confundi-los! 





Algumas outras palavras em inglês que são pronunciadas desta forma – com o som da assopradinha: 
Bathroom, thing, thanks , birthday. Este som é representado foneticamente pelo símbolo ϴ - que é obtido ao se posicionar a língua entre os dentes. Para saber se você está pronunciando corretamente, siga os passos:
1- Vá para frente do espelho;
2- Tente pronunciar as palavras: think, bathroom, bath, worth, with.
3- Verifique se sua língua aparece entre os dentes; se ela não aparece, você está pronunciando errado. Sinto muito... comece outra vez. É difícil no começo, mas depois você se acostuma. Vai se sentir um pouco ridículo, mas fazer o que, não é mesmo?




Mas há uma outra maneira de pronunciar o TH em inglês, representada foneticamente pelo símbolo  ð. Neste caso, o som da palavra vibra na sua garganta; exemplos: that, those, this. A língua também é posicionada entre os dentes, mas para saber se você está falando direitinho, coloque o dedo sobre a garganta e sinta a vibração do som. Isto não acontece no primeiro caso, em palavras como think, por exemplo, onde a ponta da língua produz o som. 

Have fun in front of the mirror!






quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

OTHER X OTHERS X ANOTHER

The Beatles; Not just another band!


Other X Others X another



Estas são três palavrinhas que parecem muito confusas em inglês. Mas só parecem.

Quando usar ‘other?’ 😕 Quando usar ‘others?’ 😕  E finalmente, quando usar ‘another?’😖

Vamos começar pelo mais fácil: OTHERS (outros ou outras) . Esta palavrinha é usada para substituir  substantivos plurais; exemplos:

Some people like tea and others prefer coffee. (other people; lembre-se que ‘people’ é o plural de ‘person!’)

I’ve lost all my pens and now I have to buy others. (concordando com ‘pens)

Some are big, others are small.  (seguindo ‘some’)

Fácil, não?    😉

Agora vamos dar uma olhadinha em OTHER (outro ou outra). Diferente de algo ou alguém que já foi mencionado; exemplos:

One man was wearing black and the other, blue. 

I have two new books. One of them is here, but I can’t find the other. 

Paul bought two apartments. One is big and the other is small.

Some people prefer cold weather, while other people prefer hot weather. Eu também poderia dizer: Some people prefer cold weather, while others (other people) prefer hot weather. Da segunda maneira, eu evitaria a repetição da palavra ‘people’, e a frase ficaria bem mais bonita. 

ANOTHER é a combinação de an+other. Pode significar:

a)  Um outro, algo extra de uma mesma coisa; exemplos:

I’d like another piece of cake. 

Bye, John! Come back another time!

I’ve lost my pen and now I have to buy another. 

My mother gave a piece of cake to me and another to Mary.

b) Algo diferente de uma coisa já mencionada:

Bob left his wife for another woman. (sad, don’t you think? 😞)

There was a man standing by the door and another at the window. 

DICAS IMPORTANTES: Nunca diga ‘the another.’ Diga: the other. 



Let’s practice!

Preencha os espaços abaixo com OTHER, ANOTHER ou OTHERS. As respostas estão lá em baixo. Não vale olhar antes de responder!

a) Please, I need you! I don’t have any ___________ friends!
b) Mary  has only one dress. I think she needs to buy __________. 
c) Have you got _________________ pen? This one is not writing.
d) Some of my friends live in Brazil and ____________, in the U.S.A. 
e) Would you like ______________ glass of beer?
f) I’m in trouble but I think some friend or ___________ will help me.
g) I asked him to buy the black car but he bought the _____________ . 
h) You shouldn’t talk about _____________ people’s lives!
i) There aren’t enough glasses for everyone. Let’s buy some ___________ . 








ANSWERS

a) other : b) another: c) another: d) others: e) another: f) other: g) other h) other i) others.



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Your Ticket to English






Para quem ainda não me conhece (e acho que é muita gente), meu nome é Ana Bailune, e sou professora particular de Inglês em Petrópolis, Rio de janeiro. Dou aulas particulares há 13 anos, e dei aulas em alguns cursos de inglês durante 11 anos. Ou seja: tenho alguma experiência - até agora, 24 anos de estrada!

Your Ticket to English é uma ideia antiga que eu venho namorando há algum tempo. Tudo surgiu aos poucos: o título do blog, o conteúdo das postagens, a vontade crescente de fazer alguma coisa prática e direta que pudesse ajudar a todos que estão aprendendo, ou que pretendem aprender Inglês. Sem blá-blá-blá. 

Inicialmente, tive a ideia de abrir um videolog, mas minha total falta de jeito para produzir vídeos me fez mudar de ideia. Achei melhor usar uma ferramenta que domino bem - o blogspot. Mesmo assim, pode ser que você encontre algum vídeo por aqui - meu ou de outros professores de inglês cujos canais eu achar interessante compartilhar. Caso você depare com um dos meus vídeos, perdoem a minha falta de jeito... quem sabe, com o tempo eu me acostume?

O objetivo do Your Ticket to English é ajudar você no processo de aprendizado; aqui, você poderá encontrar dicas importantes para acelerar seu processo de aprendizado, dicas de gramática, textos (traduzidos ou não) e muitas outras coisas interessantes. Meu único objetivo, é ajudar aos meus alunos e a qualquer outro aluno que precise. Acredito que o talento de cada pessoa deva sempre servir a alguém.


Espero que vocês possam aproveitar as dicas, e que se sintam à vontade para comentar as postagens! 

Thanks a lot!